Ainda hoje o diagnóstico da E.M. não é dos mais imediatos. Os sintomas associados a esta patologia, além de variados são comuns a muitas outras patologias. Como tal, a consulta de neurologia é essencial para uma análise minuciosa da história clínica, uma vez o que o diagnóstico é baseado num conjunto de dados clínicos e para-clínicos:

  • Dados clínicos: história da doença e os resultados de investigação clínico-neurológica.
  • Dados para-clínicos: resultados de ressonância magnética, os potenciais evocados e a análise do líquido cefalorraquidiano.

Para um completo diagnóstico de E.M. são realizados exames neurológicos, exames dos nervos cranianos, o teste dos reflexos, o teste à função motora, o teste à Marcha e Equilíbrio e o teste à função sensitiva.

Técnicas de diagnóstico da Esclerose Múltipla
  • Ressonância Nuclear Magnética (RNM);
  • Punção Lombar;
  • Potenciais Evocados;

Ressonância Nuclear Magnética

A RNM utiliza um forte campo magnético que cria imagens do cérebro e da medula espinal, evidenciando lesões na substância branca. Este exame permite observar as áreas lesadas na mielina nos doentes de E.M. sem estes apresentarem sintomas clínicos visíveis.

Punção Lombar

A punção lombar é um procedimento em que é utilizada uma agulha para remover uma amostra de líquido cefalorraquidiano (o líquido circulante que banha o sistema nervoso).
Nos portadores de E.M., este líquido exibe modificações especificas que indicam a presença de inflamação.
Apesar de considerado um exame um pouco doloroso, podendo surgir algumas dores de cabeça e/ou tonturas que desaparecem ao fim de algumas horas.

Potenciais Evocados

São um conjunto de exames neurofisiológicos do sistema nervoso que possibilitam a avaliação funcional das vias nervosas do Sistema Nervoso Central e Periférico.

Eles avaliam a atividade elétrica do cérebro em resposta a estímulos visuais, sonoros ou táteis. Cada estímulo provoca a emissão de sinais elétricos que percorrem os nervos e podem ser captados por elétrodos colocados na pelo do utente em locais específicos sendo posteriormente amplificados e interpretados.

Analisando-se estes sinais obtém-se informação relativa à condição das vias nervosas podendo indicar a presença de lesões nervosas.

Existem 3 tipos principais de estudos de potenciais evocados:

  • Potenciais Evocados Visuais – vantajosos no diagnóstico de lesões do nervo ótico e das vias óticas, nos processos desmielinizantes (esclerose múltipla)
  • Potenciais Evocados Auditivos – relevantes na avaliação de défices auditivos, permitindo distinguir lesões ao nível do nervo acústico ou em outras localizações.
  • Potenciais Evocados Somatossensitivos – avaliam a transmissão nervosa dos impulsos nas vias somatossensitivas dos membros superiores (pulso) e inferiores (tornozelo) até ao cérebro. Este exame é mportante para o diagnóstico de lesões ao nível das raízes nervosas, da espinal medula e do encéfalo.

Agradecimento

"A reestruturação do nosso website, foi possível graças ao patrocínio da:

Política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais

Linha de Apoio

A linha de Apoio telefónico tem o Apoio da:

FACEBOOK

Outras Notícias

Assembleia Geral 2017

Transporte Não Urgente de Doentes

Convocatória Assembleia Geral Novembro 2016

Portal do SNS

Moto Naútica

ser solidário

Construção do Lar
Saber mais
 
Campanha de Angariação de Fundos
Saber mais
 
Ser Voluntário
Saber mais
 
Mapa dos Donativos
Saber mais

Apoiar a Anem

Publicações Anem

A SECIL APOIA A ANEM

"Obrigado SECIL por nos ter presenteado com uma viatura que serve de apoio ao domicílio a quem mais necessita."

Links Úteis

Guia do Utente
Saber mais
 
 
Investigação
Saber mais

 
Legislação
Saber mais

Arquivos